segunda-feira, 16 de setembro de 2019

ACR DUME-Início de atividades 2019-20

O título que surgiu no Diário do Minho já tem muitos anos nos estatutos da ACRD. Desde 1983. Começamos, a sério, a fazer recolha (dádivas) de instrumentos relacionados com três árias de trabalho mais comuns em Dume, nos primórdios do séc. XX de que muitos ainda se lembram. A agricultura, a marroquinaria e os "tachinhas".
Instrumentos relacionados com a agricultura já temos: um jugo incompleto, uma "tesoura" de cortar o feno, uma máquina de sulfatar e canas, cântaros de zinco, funil grande em zinco, canecas em barro vidrado, máquina de triturar as uvas, uma prensa para espremer o bagaço (bastante moderna), um serrão de traçar a madeira em rolos, uma serra (para 2 pessoas) para traçar a meio "varas" para fazer escadas de madeira, instrumentos de cozer o pão (pá para arrumar as brasas do forno, pau com um pano para limpar o centro do forno, pá para levar as boroas ao forno, gamela (emboladeira) para dar a forma ao pão, e pá para retirar o pão do forno).
Na arte de marroquinaria já temos o essencial (que alguém ofereceu ao Zé Manel) para trabalhar o couro de forma manual.
Quanto às "tachinhas" temos, ainda, pouco material. Somente um fole para soprar o carvão em brasa e um martelo. Devem faltar outras peças que gostaríamos de colecionar.
Não podemos comprar nada pois não temos proventos fixos. Prometemos colocar em cada peça o nome da pessoa (família) ofertante para que, futuramente, não fiquem no esquecimento de seus filhos, netos, etc. Há peças relacionadas com estes ofícios que desconhecemos mas acreditamos que existam pela freguesia de Dume. A quem ler este texto pedimos que, caso conheça algo que mereça ficar para a história, nos comunique a fim de diligenciarmos na sua aquisição.
Nós passamos. As obras ficam para que outros as admirem. Não acham que será uma perda muito grande os "tachinhas" cairem no esquecimento? E, já agora, um outro desafio: quem conhece alguém que tenha trabalhado fazendo "tachinhas"? Seria muito bom descrever o modo como executavam tal ofício.

REUNIÃO GERAL- 15/09/2019


15/09/2019- REUNIÃO GERAL DA ACRD

·      Obrigado pela vossa presença
·      Queremos ser uma família onde se conversa livremente e com lealdade aos princípios que constam dos estatutos.
·      Saúdo-vos , pela primeira vez, na qualidade de presidente. Nunca o pretendi ser a não ser do grupo coral.
·      Gostaria de vos conhecer como o Zé Manel  conhecia a todos e com todos convivia. Era o elo de ligação entre todas as secções.  Nesse sentido, já pedi que fizessem o favor de escrever numa folha os nomes (1º e último), data de aniversário, contacto de telemóvel ou email.
·      Peço, encarecidamente, que cada um se preocupe com as finalidades da Associação esquecendo uma ou outra quezília: aquele canta mal, este não acerta com os acordes, aquela traz a saia do avesso, etc.
·      Sejamos, antes de mais, amigos do peito nesta causa que é de todos.
·      Em cada secção há um ou dois responsáveis que, tenho a certeza, estão dispostos a ceder o lugar a qualquer outro. Aceitem-nos , por favor. Nenhum de nós é perfeito. Aceitamos ser criticados mas gostaríamos que o fizessem depois de cada ensaio. Se houver muitas interrupções nem faremos ensaio nem resolvemos problemas.
·      Eis algumas actividades já previstas:
·      1-No dia 4 de Outubro, às 21 h, teremos um filme cómico chamado “Ladrões de Tuta e meia” com Rui Unas e Leonor Seixas. Será no salão da Junta e tem entrada livre.
·      2- Em 24 de Novembro será o dia da Associação com os momentos habituais.
·      Em Dez., iremos realizar um concerto de Natal. Queria pedir aos elementos do Rancho e dos cavaquinhos que participassem. Não gostaria de ver as várias secções de costas voltadas. Que podem fazer, então, os elementos do rancho num concerto? Concretamente queria que se oferecessem para declamar poemas alusivos ao Natal. Não é costume? Mas porque não se há-de inovar?
·      Máquina de filmar. Não sabemos onde se encontra. Temos muitos vídeos que fazem parte da nossa história e sem a máquina, não podemos rever as cassetes.
·      Como é hábito há longos anos, iremos cantar as janeiras e reis . Costuma participar só o grupo coral. Mais uma vez queria quebrar este divórcio. A seu tempo vou pedir a colaboração das outras secções.
·      Outra grande tarefa a pedido do Padre Hermenegildo e aceite pela Direcção: a realização da visita Pascal em 2020. Vários elementos propuseram renovar aquilo que, se bem se lembram, fizemos em 2000. Não sei se haverá oposição de alguns. Precisamos de organizar oito grupos (cruzes) e nada impede que se agreguem pessoas amigas que não sejam associadas. Solicito, para fazer uma  ideia daquilo com que podemos contar que, de braço no ar, mostrem se estão de acordo com a proposta.
·      Os cavaquinhos querem fazer um encontro no primeiro semestre de 2020.
·      Para já não tenho mais propostas. Contamos convosco e, sobretudo, com a vossa juventude criativa. Já temos, boa parte de nós, uma idadezinha, mas podemos ser jovens em muitas coisas.
·      Creio que já repararam para a zona dos lagares. Está a nascer algo de novo. Na verdade não é novo pois já consta, desde 1083, dos estatutos da Associação: a concretização de um museu sobre as artes e ofícios do povo Dumiense. Os Dumienses trabalharam, sobretudo, na lavoura, na marroquinaria e nas tachinhas. Ora não podemos perder os instrumentos destas artes que estão a cair em desuso e os instrumentos vão desaparecer. Sendo assim, pergunto: quem tem um arado velho? Quem tem os apetrechos do jugo dos bois? E muitas outras coisas.

·      Deixo, agora, um espaço para colocarem questões que, naturalmente, todos gostariam de ver respondidas. Vamos a isso? No fim vamos lanchar.




sexta-feira, 6 de setembro de 2019

ATIVIDADES- 2019-2020


-->
A.C.R. de DUME

INÍCIO DAS ACTIVIDADES 2019-2020

DIA 15/Set. , 15,30 h:
-Reunião  geral para o Rancho, Coral, Cavaquinhos, Lavores e associados na Sede.
-Apresentação de propostas de atividades para este ano.
-Diálogo com os presentes.
-Lanche-convívio.

ENSAIOS: a partir da 3ª semana de Setembro

sábado, 24 de agosto de 2019

SETEMBRO DE 2019

Companheiros,

Está na hora de recomeçarmos um novo ano de actividades.
Na próxima segunda feira teremos uma reunião de Direcção e temos , em esboço, mais ou menos o seguinte:
*Dia 15, domingo, a partir das 15,30 h. um encontro na Associação para os membros activos e para o associados, para conversarmos e "sacarmos" ideias para o novo ano;
* A seguir um lanche convívio aberto a todos os associados;
*A partir do dia 16 início das actividades do coral, do rancho (embora este já tenha iniciado), dos cavaquinhos, dos Lavores e, e, e,.... quem dera que houvesse mais secções.
Para além da preparação do nosso aniversário em finais de Novembro, temos a intenção de fazer um concerto da Natal na paróquia (ou mais...) antes das festas natalícias.
Para este concerto peço aos elementos do rancho e dos cavaquinhos, com jeito para a declamação, que se prontifiquem para declamar alguns poemas.
Vamos inaugurar o novo piano neste concerto. Já deixei um desafio às jovens mais jovens (não sou eu...) para executar umas peças mais sofisticadas para mostrar que não cantamos, apenas, o "queremos Deus".
Mas o desafio principal é para os mais velhos (é o que nós somos....) para que deixem de pensar nisso e revelem quanta juventude vai nas suas almas, isto é, mostrar que estamos mais próximos da plenitude da VIDA do que os mais novos (em princípio).
Cantem, dancem, louvem Aquele que nos concedeu tantos dons. Se tivéssemos nascido deficientes não seríamos capazes de fazer tantas coisas maravilhosas que nos agradam e agradam aos outros. Temos ou não razão para estarmos felizes? E como agradecemos? Tornando feliz aquele que dança comigo, que canta ou toca a meu lado.
Novo ano? Sejamos dignos daqueles que nos precederam.

Gostaria de ter o contacto telefónico ou de email de toda a gente e de os contactar com mais frequência. Vou sugerir isso à Direcção. Precisamos de ânimo (alma) para reforçar o gosto e a importância de cada elemento no conjunto harmonioso que somos: ACR DUME. Agora somos nós a construir história e a marcar presença no tempo que tão depressa se esvai.
Um abraço cheio de esperança do actual presidente, Costa Gomes.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Primeiro aniversário do José Macedo

Recordamos hoje o primeiro aniversário da ausência física e visual do Zé Macedo. Incansável no trabalho associativo, companheiro de 4 décadas, homem de iniciativas e de persistência naquilo em que acreditava. Há homens bons e trabalhadores em todas as a freguesias que pensam mais no serviço aos outros do que em si próprios. Merecem o nosso respeito e permanecer na memória dos tempos que, inexoravelmente, vão passando. São homens ilustres porque souberam dar-se sem esperar recompensa.
Por ele rezamos e cantamos: "eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei. Ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria. Sálvé Rainha". Hoje foi o dia d´Ela. Há uma ano também.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

"Ladrões de Tuta e Meia" com Rui Unas e Leonor Seixas

"Ladrões de Tuta e Meia" com Rui Unas e Leonor Seixas

No dia 4 de Outubro, pelas 21,15 horas, vai ser exibido ou no Salão Paroquial ou na sede da Junta de Dume o filme com o título acima. O local será definido brevemente. Destina-se a todas  as idades. É cómico e a entrada é grátis. Aproveitem.


Ladrões de Tuta e Meia
Sinopse longa:João e Christiane são um jovem casal que procura pagar o seu casamento através de pequenos golpes e burlas...tudo menos trabalhar, que o trabalho cansa! É então que conhecem Amílcar, um veterano do Ultramar viúvo e sozinho que acaba de ganhar a lotaria, e veem nele uma oportunidade de darem o seu último e maior golpe.Por entre raptos, tatuagens, ex-concorrentes da “Casa dos Segredos”e ataques com panelas e frigideiras, esta comédia pitoresca narrada por Cândido Mota sublinha com muita graça que a única coisa de verdadeiro valor neste mundo não é o dinheiro, mas sim a família...seja ela de sangue ou não!

segunda-feira, 17 de junho de 2019

CONCERTO CORAL EM S. VÍTOR

O Coral da ACRD vai realizar, no dia 13 de Julho, pelas 18,15 h. na Igreja de S. Vítor, algumas obras do livro "Cantarei ao Senhor" recentemente publicado, com textos litúrgicos de Cón. Fernando Silva e música de A. Costa Gomes. Depois de executar algumas obras do referido livro segui-se-á a Eucaristia Vespertina também com cânticos retirados da mesma obra que se encontra À venda na livraria do DM. A entrada é livre.