segunda-feira, 25 de maio de 2020

Máquina de Vídeo VHS

A nossa máquina de vídeo apareceu.
Na parte de baixo do armário da sala da Presidência encontrei uma caixa vazia que tinha escrito "Grundig". Analisei, inspecionei mas nada vi dentro.
-Deve ser esta a caixa em que a máquina veio!...
Retirei mais umas caixas de recordações e vi um saco de papel, rasgado, por trás. Peguei, abri e...
era uma máquina de filmar V8. Mas isto não teria estojo? Funciona? Vamos experimentar...
Bom. Já posso verificar o que existe nas pequenas cassetes V8. Só me falta descobrir como passar VHS para DVD. Talvez chegue lá!

sábado, 9 de maio de 2020

Leitor de vídeo VHS

PRECISO para actualizar a história da ACR Dume de:
Máquina de filmar (cassetes v8) e Leitor de cassetes VHS.
Explico: em pouco mais de 40 anos a tecnologia do som e da imagem virou do avesso. Aquilo que nos parecia o "último grito" na década de 80 virou obsoleto e, no presente, não tenho como visualizar tantos momentos vividos com o grupo coral, teatro, folclore e cavaquinhos da Associação. Gostava de verificar o conteúdo de várias cassetes vídeo (VHS e V8) passando para tecnologia recente contando, desde já, que daqui a vinte anos também já está obsoleta a gravação. Nessa altura poderá ser trabalho para meus netos.
Agradeço o empréstimo de um leitor de vídeo VHS que ainda reproduza bem como uma máquina de filmar cassetes vídeo (V8) para ler várias filmadas por uma máquina, nossa, que se "esqueceram" de devolver.
Todo vosso, naquilo que estiver ao meu alcance!

domingo, 12 de abril de 2020

O NOSSO MUSEU ESTÁ A CRESCER

Eis algumas fotografias do que têm oferecido para o nosso museu.
Estamos muito gratos aos ofertantes. Aí fica um pouco da memória dos Dumienses e os nomes dos que acreditam na ACRD. Bem hajam.
























sexta-feira, 27 de março de 2020

Quarentena forçada!

https://youtu.be/Vw6nK6o7V8s

Este link conduz a uma dança que sendo folclore não se trata de um grupo folclórico mas de um género de tuna/rusga.
Trago aqui este vídeo atendendo às dificuldades por que passa o nosso rancho folclórico. Desde há anos que me consta que passava por dificuldades sendo o absentismo a maior de todas. Assim não se podia continuar pois o desinteresse de uns traz o desânimo de outros. Já esperava que isto viesse a acontecer, mesmo no grupo coral. É o resultado de divisões geracionais e, sobretudo, de uma falsa ideia no que se refere ao reconhecimento de competências nomeadamente por parte de quem deveria ter as rédeas do saber e  aconselhar. Não temos jovens. Não temos jovens porque não temos crianças. Não temos crianças porque não lhes são incutidos princípios basilares que suportem a razão fundamental da existência humana sobre a terra.
Quem é Deus? É o Senhor e Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis. E criou o homem? Sim, criou-o à sua imagem e semelhança para que O amasse e servisse e, um dia, fosse feliz para sempre no céu.
Em duas linhas está toda a razão da existência humana. Mas são poucas as pessoas que querem pensar nisso. Preferem viver sem querer saber. Depois se verá!- dizem. Mas alguém veio aqui dizer como é esse "depois se verá?".
Tudo isto para dizer que a minha esperança, a respeito do rancho, era a de continuar a ensaiar embora algo diferente. Se não há 4 pares dança-se com dois. Se não se canta ou toca uma cantiga das que aprenderam com o Zé Manel cantam ou tocam outras coisas mantendo o espírito de rusga e de diversão. Bom para quem se distrai e bom para manter tradições.
Não. Fizeram o mais fácil: atiraram a toalha ao chão. Significa isto que o trabalho de 4 décadas está parado para morrer no esquecimento.
Os novos têm "tanto que fazer" que não querem tomar iniciativas. Os velhos sentem o tempo a escorregar debaixo dos pés e... estes já não querem caminhar!
Ouça esta rusga de Esposende.

segunda-feira, 16 de março de 2020

"O homem põe e Deus dispôe"

É verdade.
Tanto trabalho a programar a visita Pascal de 2020 e... água abaixo!!!
Tanto trabalho a programar um concerto para o dia de Pascoela e... água abaixo!!!
Culpa? Do "coronavirus"!!! Também conhecido pelo nome de uma freguesia de Terras de Bouro: covid-19. Nem é 20, mas 19.
Toda a gente espirra, muita morre e todos andam com medo: e se ???
Já não é o primeiro que vem dos lados da Ásia. Tem de se fechar a porta a esta gente!
Uns dizem: é o destino...
Outros: é um castigo de Deus pelos crimes que a humanidade pratica....
Pode ser que sim. Na verdade dá que pensar (para quem costuma pensar!).
Precisamos de duas atitudes: pensar que não somos daqui, agindo como tal; ter cuidado com esse "bicho" que ninguém sabe onde o poderemos encontrar.
Por isso, meus caros coralistas, tenham muito cuidado em não espirrar para o parceiro da frente pois estou a ficar sem "quorum" para equilibrar o grupo coral. Além disso devem respeitar a prioridade na despedida para o Além. Deixem viver quem ainda pouco viveu.
Beijabração, como diria o P. Acílio Mendes.

Ah! não fiquem inativos. A preguiça é a mãe de todos os vícios.
Não se esqueçam que temos um museu para encher com artigos  de artes e ofícios do povo Dumiense.
Lembrem-se dos vossos (nossos) antepassados e da fome que "raparam". É um dever de justiça deixar os seus nomes "agarrados" a qualquer objecto por mais estranho que pareça. Ainda só temos um penico que, para dizer a verdade, parece-me bastante moderno. Semeiem esta ideia o mais que puderem. Já temos um semeador de dois regos. Falta outro de um só rego. Chocolateira de barro, daquelas que se colocavam no meio das brasas, para fazer o café... não temos nenhuma. Que mais vos hei-de pedir? Que tenham muito amor à vossa terra. Há algum problema em que sejam os vossos filhos ou netos a colher o fruto da vossa persistente "teimosia"?

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

2020- A Cruz Pascal


A A.C.R.D. assumiu neste ano de 2020 (tal como assumiu em 2000) a responsabilidade dos compassos no dia de Páscoa bem como a solenização dos actos litúrgicos durante a Quaresma, tempo de preparação para a Páscoa.No passado dia 16 deu-se a passagem de testemunho sendo, depois da Missa, levada e Cruz, em procissão, para a nossa casa- Casa da Cultura onde ficará até à Páscoa (ver a fotografia).
Sala da Presidência da ACRD
Os 5 elementos de cada grupo- são oito grupos- já estão concertados havendo quem opte por andar todo o dia e outros de manhã ou de tarde.
Precisamos, agora, de combinar a participação nos actos religiosos entre as mais de 40 pessoas que aderiram a este gesto tão bonito e cristão.
Gostava que cada representante dos vários compassos me informasse quando pode ou deseja participar nas seguintes tarefas, ao sábado ou domingo: 1ª leitura, 2ª leitura, oração dos fiéis e peditório. Para já vou dar a minha sugestão seguindo a lista com os voluntários que se inscreveram e, entretanto, vou ouvindo as diferentes opiniões e acertando agulhas. No primeiro domingo de cada mês as leituras são da responsabilidade das crianças da Catequese.
Então sugiro que, já neste fim de semana (sábado e domingo) a responsabilidade seja dividida por Adelino Oliveira (e seus companheiros) e por Domingos Silva (e seus companheiros). Na minha lista numerei os compassos e coloquei os seguintes responsáveis (como porta voz para os restantes do grupo).
CRUZ nº 1- Adelino Oliveira- Missas nos dias: 22/2, 23/2 +28/3, 29/3
CRUZ nº 2- Domingos Silva- Missas nos dias: 22/2, 23/2 +4/4 e 4/5 (?)
CRUZ nº 3-Maria Azevedo- Missas nos dias: 29/2, 4/4 e 5/4?
CRUZ nº 4- Miguel Azevedo- Missas nos dias: 7/3, 8/3; 11/4 e 12/4
CRUZ nº 5- Armando Balão- Missas nos dias: 7/3, 8/3; 11/4 e 12/4
CRUZ nº 6-Manuel Neto- Missas nos dias: 21/3 e 22/3
CRUZ nº 7- Gorete Gonçalves- Missas nos dias: 21/3 e 22/3
CRUZ nº 8- Pedro Costa- Missas nos dias: 28/3 e 29/3
Nota: É evidente que não é necessária tanta gente para cada Eucaristia. A maior parte estão colocados em 4 dias atendendo a que devem ter hipótese de escolha. Na Vigília devem estar todos presentes. Só assim mostramos a nossa unidade neste grande objectivo: louvar Jesus Cristo. É isto que nos une e nesta união sentimos mais coragem para sermos fiéis discípulos d' Ele.
Para falar com os representantes de cada grupo deixo aqui (espero não estar a ofender ninguém!) os números de contacto.
Cruz nº 1- 965 218 782// Cruz nº 2-963 116 317// Cruz nº 3-934 671 605// Cruz nº 4-936 407 226// 
Cruz nº 5-937 305 035 // Cruz nº 6- 962 205 243// Cruz nº 7-963 441 156// Cruz nº 8-939 842 176
Que seja um tempo quaresmal e Pascal inesquecível. Ninguém chega à Páscoa sem passar pela quaresma. E, sejamos sinceros: não custa assim tanto! E teremos a consciência em paz pois cumprimos o nosso dever.
Costa Gomes (936 170 344)